Dermolipectomia de BraÇos (CorreÇÃo da Flacidez)

O contorno dos braços tem sido cada vez mais valorizado pelas novas tendências da moda e pela popularização dos esportes ao ar livre.

Os motivos que provocam a flacidez na região interna dos braços são os mais diversos: emagrecimento considerável, predisposição genética, maus hábitos alimentares, abandono das atividades físicas, processo natural de envelhecimento, etc.

A dermolipectomia braquial, ou dermolipectomia dos braços consiste na retirada de gordura e pele em excesso da região (dermo = pele; lipo = gordura; ectomia = retirada). Além de melhorar o contorno do braço, deixando com um desenho mais natural e menos flácido, a dermolipectomia proporciona conforto físico ao paciente. A dermolipectomia não deve ser considerada como tratamento de obesidade, ou substituto de dietas e exercícios físicos.

O procedimento pode ser realizado isoladamente, ou associado à lipoaspiração, o que garante melhor contorno corporal e resultados excelentes graças à capacidade de retração da pele nesta região.

A indicação da lipoaspiração é eliminar a gordura localizada. Diferente do que diz o senso comum, a lipoaspiração não é recomendada para grandes emagrecimentos, mas sim para a retirada de gordura em excesso – até mesmo em pessoas magras.

A cirurgia do braço dura em média três horas. É usada anestesia geral ou local com sedação. O corte para eliminar o excesso de flacidez é feito na dobra do braço, na região da axila, estendendo-se pela face posterior. A dimensão da cicatriz será determinada pelo volume excedente eliminado. Um fator importante a ser levado em conta é a capacidade individual de cada paciente de cicatrização. A qualidade da cicatriz é preocupação constante, bem como a retração presente nas cicatrizes lineares e o alargamento, constituindo uma cicatriz inestética.

O resultado definitivo da dermolipectomia é alcançado entre seis e 12 meses, variando conforme a estrutura física de cada paciente e o volume de pele eliminado na cirurgia.

Complicações: Apesar de raras, podem ocorrer hematomas, coleções serosas, infecção, necrose, abertura dos pontos, queloide (em pacientes com predisposição), trombose e problemas anestésicos.
Anestesia: local com sedação ou geral.
Duração da cirurgia: entre duas a quatro horas.
Tempo de internação: entre 12 e 24 horas.
Pré-operatório: realização de exames laboratoriais e suspensão do uso de medicamentos como, por exemplo, anticoagulantes.
Pós-operatório: uso de curativo e malha compressora.
Tempo de recuperação: repouso absoluto nos primeiros dias após a cirurgia. As atividades normais podem ser retomadas entre uma semana a dez dias.