Abdominoplastia (Cirurgia do Abdome)

Mesmo pessoas com peso corporal e proporções normais podem desenvolver um abdômen caído e flácido. As causas mais comuns destas situações incluem: gravidez, envelhecimento, oscilações significativas no peso, hereditariedade, cirurgia prévia.

A plástica abdominal, ou abdominoplastia, remove o excesso de pele, corrige a flacidez muscular e os depósitos de gordura, criando um perfil abdominal mais suave e tonificado. Este é um procedimento recomendado para pessoas que perderam muito peso e mulheres que já tiveram gestações e não pretendem ter outros filhos.

A abdominoplastia pode ser realizada isoladamente, mas geralmente é associada à lipoaspiração, com melhores resultados e melhora no contorno corporal.  Esse procedimento cirúrgico não deve ser considerado como tratamento de obesidade ou substituto de dietas e exercícios físicos. Gestações futuras e alterações substanciais do peso após a abdominoplastia podem reduzir a eficácia e longevidade do tratamento.

A cirurgia do abdome é normalmente realizada através de uma incisão transversal logo acima dos pelos pubianos. O tamanho da incisão depende da quantidade de pele a ser removida e normalmente continua até próximo dos quadris, curvando-se levemente para cima. Em geral, procura-se posicionar a incisão de forma que a cicatriz resultante fique escondida pelas roupas íntimas dos biquínis. Os pacientes que desejam realizá-la devem ter hábitos saudáveis e estar relativamente em forma.

A abdominoplastia é um procedimento altamente individualizado e você deve fazer esta cirurgia para si mesmo, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal.

Contraindicações: A cirurgia não poderá ser realizada se o paciente estiver com suspeita de gripe, mal estar ou algum tipo de infecção; faça uso de algum tipo de anticoagulante como ácido acetilsalicílico (AAS) que deverá ser suspenso pelo menos 7-10 dias antes da cirurgia. Se for fumante, cortar o consumo de cigarros duas semanas antes da cirurgia e duas semanas após; não ingerir bebido alcoólico próximo à data da cirurgia.
Complicações: Podem surgir complicações como hematoma, seroma, infecção, sofrimento de pele, abertura de sutura e problemas anestésicos. Pacientes que são fumantes devem suspender o cigarro antes e depois da cirurgia para minimizar os riscos.
Anestesia: peridural ou geral.
Duração da cirurgia: entre duas e cinco horas.
Tempo de internação: 24 horas.
Pré-operatório: realização de exames laboratoriais e suspensão do uso de medicamentos como, por exemplo, anticoagulantes.
Pós-operatório: Nos primeiros dias depois da cirurgia o paciente terá que usar dreno para eliminar o líquido abaixo da cicatriz, o que pode gerar certa sensibilidade na região operada. Evitar esforços físicos nos primeiros 20 dias de pós-operatório, mantendo-se em uma postura levemente curvada para evitar tensão na cicatriz. Uso obrigatório de cinta cirúrgica por, no mínimo, dois meses, além de se submeter a sessões de ultrassom e de drenagem linfática para evitar o acúmulo de líquido e ajudar no processo de cicatrização.

Tempo de recuperação: 2 a 3 semanas.