Mamoplastia de Aumento (Prótese de Silicone)

A mamoplastia de aumento é uma das cirurgias plásticas mais procuradas no Brasil, e está no topo do ranking de cirurgias plásticas estéticas. A cirurgia de aumento de mama utiliza implantes para dar volume aos seios ou restaurar o volume mamário perdido após perda de peso ou gravidez.

Se você está insatisfeito com o tamanho da sua mama, a cirurgia de aumento de mama é uma opção a ser considerara. O aumento de mama pode: aumentar o tamanho e projeção de seus seios, melhorar o equilíbrio de seu corpo, melhorar a sua autoestima e autoconfiança.

A mamoplastia de aumento não corrige seios severamente caídos. Se você deseja um resultado que corrija a flacidez, o procedimento de elevação da mama pode ser realizado no mesmo tempo que o aumento de mama ou, então, pode ser necessária uma segunda cirurgia. Seu cirurgião plástico irá ajudá-la a tomar esta decisão.

As incisões são feitas em áreas discretas para ajudar a minimizar que a cicatriz fique visível. Você e seu cirurgião plástico irão discutir quais opções de incisão são apropriadas para o resultado que deseja. As opções de incisão incluem: Incisão inframamária, Incisão transaxilar, Incisão periareolar.
As incisões variam com o tipo de implante, o volume desejado, as particularidades anatômicas e a preferência do cirurgião.

Após a incisão, determina-se o local onde a prótese mamária será inserida:
• Sob o músculo peitoral (colocação submuscular),
• Diretamente atrás do tecido mamário, sobre o músculo peitoral (colocação submamária / subglandular).
O método para inserir e posicionar os implantes depende do tipo de implante, do volume pretendido, de particularidades anatômicas e de recomendações do cirurgião.
O tamanho e a forma dos seios são importantes. Converse com seu cirurgião sobre suas expectativas. O tipo e o tamanho do implante serão determinados não apenas pelo seu desejado de aumento no tamanho, mas, também, pela elasticidade da pele, anatomia e tipo físico.

Os Implantes de silicone são preenchidos com gel coesivo. Estes implantes têm a textura muito parecida como o tecido natural da mama. Em caso de ruptura do implante, o gel pode permanecer no interior do invólucro e dessa forma não extravasar. A ruptura de um implante de silicone não diminui a mama; logo, você deve consultar seu cirurgião plástico regularmente para garantir que os implantes estejam em condições normais. Exames de ultrassom ou de ressonância magnética podem avaliar a condição do implante mamário.

Os implantes mamários possuem características distintas quanto: à forma (redondo ou anatômico - em forma de “gota”), à superfície (liso, texturizado e poliuretano) e o perfil (baixo, moderado, alto e extra-alto). Os mais comumente utilizados são os redondos, texturizados e de perfil alto.

A cirurgia de inclusão de prótese mamária pode levar de duas a quatro horas e é realizada com anestesia geral ou local e sedação. O tempo de internação varia entre 12 e 24 horas, dependendo do tipo de anestesia utilizado.

É importante lembrar que uma gravidez após uma mamoplastia de aumento pode comprometer os resultados da cirurgia, pois os efeitos da amamentação podem fazer com que as mamas fiquem flácidas e mudem de forma novamente. Apesar de a mamoplastia de aumento não impedir o processo de envelhecimento, ela pode ajudá-la não apenas a melhorar a posição de suas mamas, como também deixá-las mais firmes por muitos anos. A prótese de mama não prejudica a gravidez ou a amamentação

A troca da prótese deve ser feita após 10 a15 anos, evitando-se que ocorra algum desgaste e/ou quando apresentar ruptura ou houver contratura capsular acentuada das mamas.

Complicações: Cicatrizes desfavoráveis; sangramento (hematoma); infecção; má cicatrização das incisões; alterações de sensibilidade da mama ou do mamilo, de forma temporária ou permanente; contratura capsular (é a formação de tecido cicatricial rígido em torno do implante); ruptura do implante; enrugamento da pele sobre o implante; riscos anestésicos; acúmulo de líquido (seroma); dor, que pode perdurar; trombose venosa profunda; complicações cardíacas e pulmonares e possibilidade de novo procedimento cirúrgico.
Cicatrização: Pequena e discreta, a cicatriz da mamoplastia de aumento é facilmente disfarçada, pois se localiza em áreas estratégicas do corpo, por exemplo, no sulco formado entre a mama e o tórax. Outras opções são na região da aréola e na axila.
A retirada dos pontos é feita depois de 10 dias da cirurgia plástica. Cicatrização hipertrófica ou quelóide são mais comuns entre mulheres de pele morena e orientais; no entanto, essa tendência pode ser identificada pelo cirurgião plástico durante a preparação da paciente para o procedimento, com orientações a respeito.

Contraindicações: A cirurgia não poderá ser realizada se o paciente estiver com suspeita de gripe, mal estar ou algum tipo de infecção; faça uso de algum tipo de anticoagulante como ácido acetilsalicílico (AAS) que deverá ser suspenso pelo menos 7-10 dias antes da cirurgia. Se for fumante, cortar o consumo de cigarros duas semanas antes da cirurgia e duas semanas após; não ingerir bebida alcoólica próximo à data da cirurgia.

Anestesia: local com sedação ou geral.
Duração da cirurgia: de 1 a 2 horas.
Tempo de internação: entre 12 e 24 horas
Pré-operatório: realização de exames laboratoriais e suspensão do uso de medicamentos como, por exemplo, anticoagulantes.
Pós-operatório: uso de sutiã cirúrgico por, no mínimo, dois meses. Dores na fase inicial do pós-operatório são comuns e podem ser contornadas com o uso de analgésico. A paciente deve evitar movimentos bruscos e excessivos com os braços. Além disso, é recomendado que contasse com a ajuda de alguém para tomar banho. Deve ainda evitar esforço físico nas primeiras semanas. Deve-se evitar dirigir por, no mínimo, três semanas após a cirurgia e retomar a prática esportiva somente depois do terceiro mês.
Pode haver o uso de dreno nos primeiros dias depois da mamoplastia de aumento para evitar o acúmulo de líquido em torno da prótese.
Tempo de recuperação: 14 a 21 dias.